Observação do impacto negativo da tecnologia na sociedade, de um ponto de vista psicológico.

Observação do impacto negativo da tecnologia na sociedade, de um ponto de vista psicológico.

redes_sociais  “Eu temo o dia em que a tecnologia ultrapassar a interatividade humana.
    O mundo terá uma geração de idiotas”                                                                                                                                                                                (Albert Einstein).

Começo com esta frase porque desejo fazer logo um pergunta: Será que este dia tão temido por Albert Einstein chegou?

Vamos analisar alguns pontos para respondê-la juntos:

Antigamente, quando queríamos pesquisar sobre determinado assunto, entrávamos numa biblioteca e pedíamos à funcionária o que ela tinha sobre o tema. Hoje basta clicar num site de pesquisa e encontramos várias páginas, artigos, blogs e textos. O importante é diferenciarmos que quantidade de informação não é conhecimento. A geração atual tem dificuldade de se lembrar do que viu ou ouviu por causa do turbilhão de informações a que está exposta. Esta perda de memória ou menor absorção de conhecimento é muito preocupante.

Esta geração, chamada de “geração Z”, nascida entre 1990 e 2009, tem um ponto negativo muito forte que é a ausência de paciência. Isso vai gerar irritabilidade, ansiosidade e desconforto. A tecnologia nos fez achar que tudo na vida é dinâmico e que tudo é para agora. Aí vem a dificuldade de mostrar para este adolescente que a escola é um lugar que faz parte da sua formação. Permanecer cinquenta minutos sentados, copiando e ouvindo o professor falar é quase uma eternidade por causa da baixa quantidade de informação que ele está absorvendo. Já na internet a quantidade é uma enxurrada comparada com o conta-gotas da sala de aula.

O indivíduo acaba mergulhando por horas no ciberespaço e perde a interação com quem está próximo. Troca uma boa conversa com seus pares, seus amigos e seus parentes por navegar em centenas de páginas na internet. Isso enfraquece as habilidades interpessoais e pode ser um fator gerador de patologias como a depressão e a ansiedade. Caso já exista um quadro de depressão, ela pode ser agravada pelo isolamento social no uso exclusivo da internet para se relacionar com outras pessoas. Sem contar que o uso prolongado pode também atrapalhar os hábitos de sono, já que o cérebro tem dificuldades de “desligar” por causa do fluxo constante de informações e o brilho das telas prejudica a fabricação de melatonina, substância química do sono.

Outro fator preocupante é a falta de empatia nos dias de hoje. Por causa do fluxo constante de cenas de violência através de jogos, filmes, e pior, vídeos de execução/mutilação que recebemos pelo celular, estão nos tornando pessoas insensíveis à destruição de qualquer tipo. Estamos perdendo a preocupação com o próximo, com a dor alheia e nos tornando cada vez mais insensíveis.

Antes de darmos o veredito sobre a pergunta do início do texto, quero deixar claro que o objetivo aqui não é “diabolizar” a tecnologia, mas sim condenar o seu mau uso. E já respondendo, acredito que não chegamos a este extremo de possuirmos uma geração de idiotas. Possuímos sim, pessoas que utilizam da tecnologia de maneira errada, que geram comportamentos disfuncionais e que, por sua vez, produz doenças psicológicas que devem ser tratadas o quanto antes.

 Por Cleber Manoel Martins       
Psicólogo -CRP: 05/48747      

 

 

O TRABALHO DA CRIANÇA NA FAMÍLIA

 É de grande importância para o desenvolvimento neuropsicológico da criança as pequenas atividades que realiza no cotidiano da família. Através destas atividades se estimula a […]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *